Exames

Manometria Esofágica

A Manometria Esofágica é um exame que estuda o funcionamento de todo o esôfago por meio da medição de pressões. As informações são processadas por um computador e formam gráficos, por meio dos quais é possível avaliar se existe alguma doença no paciente.

As informações fornecidas pelo exame servem para diagnosticar doenças próprias do esôfago ou sistêmicas que podem afetar o órgão, em geral após terem sido excluídos males mais comuns por meio da endoscopia. Este exame avalia, principalmente, a função motora do esôfago, a forma como se contrai para fazer progredir o alimento até o estômago e o funcionamento do esfíncter inferior do esôfago, cuja alteração pode determinar várias doenças, sendo a mais comum a Doença do Refluxo. 

Para a realização do exame é feita uma anestesia tópica no nariz (com gel anestésico) e na sequencia introduzida uma sonda também pelo nariz, cuja extremidade distal é colocada dentro do estômago. A passagem da sonda é a parte mais incômoda do exame, podendo causar náusea, tosse e lacrimejamento. A partir daí, a sonda vai sendo retirada lentamente e são realizadas as medições das pressões ao longo de todo esôfago, as quais são transmitidas a um aparelho e, por fim, a um programa no computador. O exame dura em torno de 30 minutos.

O paciente precisa estar em jejum. É recomendado ficar sem alimentação pelo menos seis horas antes do exame. Em alguns casos, pode ser exigido jejum mais prolongado.

O paciente não fica inconsciente, precisa estar acordado, pois necessita colaborar durante o exame. Para uma avaliação adequada, a pessoa tem que manter a capacidade de deglutir (engolir) naturalmente. Durante o exame é solicitado ao paciente que tome alguns goles de água ou que degluta a própria saliva.

A sedação ou anestesia pode prejudicar o exame. Caso o paciente tenha necessitado de sedação ou anestesia para outro procedimento, é recomendado aguardar pelo menos 48h para fazer a manometria.

A principal indicação da manometria é a avaliação da doença do refluxo gastroesofágico, sendo realizada em casos duvidosos ou nos quais se pretende realizar cirurgia. Também sempre deve ser feita, antes da realização do exame, a phmetria esofágica prolongada, para avaliar com precisão o lugar onde deve ser colocado o cateter.

É também indicada na avaliação de pacientes com dor torácica de origem não cardíaca e pacientes com queixa de dificuldade ou de dor à passagem do alimento.

O exame pode não ser feito quando há alguma lesão obstrutiva que impeça a passagem na sonda, seja no nariz, na faringe ou no próprio esôfago ou  quando o próprio paciente não tolera a passagem da sonda, o que é bem raro.

Além desses fatores, não existem outras limitações para realização do exame.

Em geral, é solicitado que o paciente já tenha realizado o exame de endoscopia digestiva alta, para avaliar se há alguma alteração significativa que deve ser levada em consideração durante a manometria.

Não é necessário repouso após o exame. Como a manometria é realizada com o paciente acordado, assim que o exame termina o paciente pode se alimentar, dirigir e trabalhar sem problemas.