Professores e alunos da UFMT visitam Reserva Nacional do Xingu para instalação de projetos na área da saúde

Visando oferecer melhores condições de atendimento à saúde da população indígena com o enriquecimento da formação acadêmica, professores e alunos do curso de Medicina da UFMT de Sinop estarão apresentando o Projeto de Prevenção ao Alcoolismo, no Parque Nacional do Xingu, de 07 a 10 de setembro.

 

As aldeias visitadas serão as Piaraçu e Aribaru, das etnias Metyktire (Kayapó) e Yudjä (Juruena), como explica o professor Duarte Antônio Guerra, idealizador do programa.

 

“O objetivo de nossa ida é mostrar o projeto aos indígenas (lideranças e comunidade), apresentar a equipe da UFMT e aproveitando a nossa presença lá, fazer um reconhecimento para planejar projetos futuros da universidade na atenção à saúde indígena”, aponta Guerra.

 

O Projeto de Prevenção ao Alcoolismo foi apresentado pelo professor no Curso de Especialização em Saúde Indígena da UNIFESP, no ano passado.

 

“Fomos incentivados a colocar o plano em prática pela importância do assunto. Queremos capacitar a população indígena para a prevenção do alcoolismo, pois o crescente contato  com a sociedade do entorno do parque do Xingu leva à assimilação de costumes. O vício entre indígenas causa sérios problemas à saúde destas populações, como um grave aumento da taxa de suicídio”, conta Guerra. 

 

O projeto será desenvolvido no Distrito Sanitário Especial Indígena Kayapó de Mato Grosso. O território abrange o médio Xingu, alcançando o sul do Pará e o norte de Mato Grosso.

 

Além do professor Duarte, estão envolvidos no programa o professor da UFMT de Cuiabá, Reinaldo Gaspar, a médica radiologista Juliana Lobo e as acadêmicas de medicina da UFMT Sinop, Ana Emília Chiaradia, Letícia Chicol e Isadora Oliveira.

 

Estarão acompanhando a expedição o diretor do Instituto de Ciências Sociais (ICS)/UFMT Sinop, doutor Guilherme Emmerick, a professora de odontologia da Fasipe, Márcia Alves Ferreira  e os professores doutores Douglas e Anna Letícia Yanai, que além de apoiarem o programa, irão avaliar a realização de novos projetos em suas áreas de atuação, como por exemplo a ampliação do projeto De Olho no Futuro, realizado anualmente no Hospital e Maternidade Dois Pinheiros, aponta o doutor Douglas Yanai.

 

 “Vamos neste primeiro momento para entender um pouco das condições de saúde indígena e suas necessidades. E abrir portas para futuras colaborações da UFMT de Sinop, Fasipe e Hospital Dois Pinheiros no âmbito pesquisa e assistência social”, encerra Yanai.

0000-00-00 00:00:00 | Carol Scandolara/BW Comunica